28 de jun de 2013

OS HORRORES DE MAGÉ E A REVOLTA DA ARMADA


Este vídeo foi realizado pelo GRUPO RESGATE MEMÓRIA MAGÉ. Muito bem realizado, com informações históricas precisas e coerentes. Para conhecimento da história fluminense, essas informações são imprescindíveis. E com certeza foram a causa do declínio econômico e social deste importante Município de nosso Estado. Declínio, é verdade. Contudo, com uma enorme capacidade de superação, tanto que o PIB deste Município é maior do que, por exemplo, o de Teresópolis. 

José Dias Pinto Carneiro, meu antepassado, deveria ir ao Rio de Janeiro para buscar os unguentos, remédios, emplastros e outros, que vendia como "pharmacêutico". Com toda a certeza, deve ter visto com os próprios olhos "OS HORRORES DE MAGÉ". Em 1895, mudou-se com a família da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Sebastiana para Pedro do Rio, em Petrópolis. A mudança repentina teria se dado por que alguns revoltosos se recolheram à localidade de Teresópolis chamada a partir de então, Vale da Revolta?

Um comentário :

Anônimo disse...

Obrigado Adriano, pelo comentário. Realmente essa é uma triste história de um Município que foi muito importante para o Brasil. O terceiro município mais velho do Estado do Rio de Janeiro. 1º Angra dos Reis - 511 anos, 2º Rio de Janeiro, 448 anos e 3º Magé, também com 448, com uma diferença de 3 meses apenas. Magé é o Município mais velho da Baixada Fluminense, o décimo-primeiro em população e continua atrasado apesar de ter o PIB maior do que Teresópolis.
Estou refazendo o vídeo com narrações e com mais detalhes. Um dos detalhes é em relação a Tereza Cristina, esposa de D. Pedro II. Uma mulher extraordinária que disse antes de morrer: "Não morro de doença, mas de desgosto". Tanto Teresópolis e Guapimirim usaram um dos símbolos de Magé, o Dedo de Deus, isto mostra que somos um mesmo povo.

Em breve OS HORRORES DE MAGÉ narrado.

Um abraço,

Gilvaldo Dias Guerra
GRUPO RESGATE MEMORIA MAGÉ
e-mail: cidademage@oi.com.br