7 de mai de 2013

Martim Afonso de Sousa. Tomé de Sousa. D. Antônio de Ataíde. Dados sobre sua Genealogia:

PERO DE SOUZA DE SEABRA, Vedor de D. Afonso V e Senhor do Prado. Cc D. MARIA PINHEIRO COGOMINHO. Pais de:
F1- D. GONÇALO DE SOUSA, Grande Capitão da Armada na Guiné. Cc D. LEONOR VIOLANTE RIBEIRO DE VASCONCELOS.
F2- D. SEBASTIÃO DE SOUSA.
F3- D. JOÃO DE SOUSA, Abade de Rates. Apesar de ter seguido vida eclesiástica uniu-se maritalmente com MÉCIA RODRIGUES DE FARIA. Pais de:
N1- JOÃO DE SOUSA.
N2- FREI FRANCISCO DE SOUSA.
N3- RODRIGO DE SOUSA.
N4- LUÍS DE SOUSA.
N5- PEDRO DE SOUSA.
N6- D. HELENA DE TÁVORA cc. HENRIQUE PEREIRA. Pais de:
B1- D. CATARINA DE SOUSA cc. NICOLAU GIRALDES.
N7- D. JULIANA DE TÁVORA cc. JORGE LOPES DE SOUSA. Pais de:
B2- D. HELENA DE TÁVORA cc  GOMES DE QUADROS.
N8- TOMÉ DE SOUSA, Comendador de Rates e Arruda, Membro da Ordem de Cristo, 1º Governador Geral do Brasil,  cc. D. MARIA DA COSTA. Pais de:
B3- D. HELENA DE SOUSA cc. DIOGO LOPES DE LIMA.
B4- FRANCISCO DE SOUSA.
B5- GARCIA DE SOUSA.


F4- D. ISABEL DE SOUSA cc.D. JOÃO DE CASTRO.
F5- D. VIOLANTE DE TÁVORA, d., about 1555, cc, em primeiras núpcias, com D. RUI DE SOUSA, sem geração. 
E em segundas núpcias com D.ÁLVARO DE ATAÍDE, Senhor de Castanheira, Povos e Cheleiros. Pais de:
      D. Antônio de Ataíde
N9 - D. ANTÔNIO DE ATAÍDE, b., between 1500 - 1502, d., 07/10/1563. 1º Conde da Castanheira, Senhor do Morgado da Foz..  Foi conselheiro de Estado, vedor da Casa Real, alcaide-mor de Colares, comendador de Langroina na Ordem de Cristo. Recebeu a primeira educação no Paço Real da Ribeira, sendo D. João ainda príncipe, com quem então muito convivera, devotava ao Príncipe D. João (futuro D. João III) grande amizade. Tinham quase a mesma idade, e a convivência lhes granjeara mutuamente verdadeira afeição. Quando D. João subiu ao trono em Dezembro de 1521, por morte de seu pai, D. Manuel, o Venturoso, concedeu-lhe o título de Conde de Castanheira, e nomeou-o embaixador em Paris para tratar de negócios da maior importância. Apesar de contar apenas 20 anos, D. António houve-se superiormente no desempenho desse espinhoso cargo. Também representou D João III em Castela e na Alemanha, e em paga destes serviços, o rei D. João o nomeou, por carta de 13 de maio de 1532, conselheiro de Estado e Vedor da fazenda, lugar que exerceu até 1557, ano em que faleceu o monarca. Foi sua a iniciativa de colonizar o Brasil, e organizou a primeira expedição chefiada por Martim Afonso de Sousa, seu primo. Em 1534 resolveu criar o sistema de Capitanias-hereditarias. Saindo então da corte retirou-se para o convento da Castanheira, onde faleceu.
Cc, em primeiras núpcias, D. MARIA DE VILHENA; em segundas núpcias, D. BÁRBARA DE NORONHA; em terceiras núpcias, D. MARIA DE VILHENA.                                                              
F6- PERO DE SOUSA, Tesoureiro-Mor da Sé de Lisboa (Religioso).
F7- D. LOPO DE SOUSA, Alcaide-Mor de Bragança e Aio do Duque de Bragança, cc D. BRITES DE ALBUQUERQUE DE SÁ. Pais de:
N10- PERO LOPES DE SOUSA cc D. ISABEL DE GAMBOA.
N11- JOÃO RODRIGUES DE SOUSA.
N12- D. ISABEL DE ALBUQUERQUE cc. D. ANTONIO DE BRITO.
N13-  D. CATARINA DE ALBUQUERQUE.
N14- MARTIM AFONSO DE SOUSA.

Um comentário :

Leandro disse...

Nem imaginava que Martim Afonso e Tomé de Sousa fossem primos-irmãos.